segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Transtornos Psicológicos I





Oi gente!

Aqui estou eu, mais uma vez e hoje venho para falar sobre transtornos psicológicos. Ainda por cima, sobre dois muito usados em fanfics/originais policiais/criminais.

Há muito a se falar sobre Psicopatia e/ou Sociopatia.

Para começar, clinicamente falando, as duas são a mesma coisa: Transtorno da Personalidade Antissocial. É diagnosticado com a aplicação de um teste e a comparação dos resultados com a Escala de Hare, criada pelo psicólogo Robert Hare.
É composto de 20 itens de avaliação, cada um com notas de 0 a 2. Deve ser aplicada e interpretada por um profissional treinado. Nem todo psicólogo ou psiquiatra pode aplicar esse teste. O mais indicado é que seja aplicado por pessoas da área criminal ou forense.

Para não gerar mal-entendidos ou deixar muita gente aplicando esse teste de maneira errônea com os coleguinhas e com si mesmo e ficando achando que todo mundo é psicopata, eu não vou compartilhar o teste.

Segundo: os portadores desse distúrbio não são insanos. Esse transtorno ema nada compromete as capacidades mentais de alguém. Eles não são loucos.

Terceiro: uma pessoa má, não necessariamente é psicopata ou sociopata. Maldade não é algo relacionado somente a psicopatia. Uma pessoa pode ser má, egoísta e cometer grandes atos de crueldade sem ter esse transtorno.


O que define o Transtorno da Personalidade Antissocial é a incapacidade de um indivíduo sentir empatia, resultando em descaso com o bem-estar do outro e sérios prejuízos aos que convivem com quem possuí tal transtorno.
Esse desvio de caráter costuma ir se estruturando desde a infância.
Por isso, na maioria das vezes, alguns dos seus sintomas podem ser observados nesta fase e/ou na adolescência, por meio de comportamentos agressivos que, durante estes períodos, são denominados de transtornos de conduta.
Não demonstram empatia, são interesseiros egoístas e manipuladores. Conforme se tornam adultos, o transtorno tende a se cronificar e causar ada vez mais prejuízos na vida do próprio indivíduo e especialmente na de quem convive com ele.

Um mito muito comum é associar assassinos a psicopatas e sociopatas, quando apenas 1% dos psicopatas chegam realmente a matar alguém.


Sociopatia e Psicopatia são diferenciadas mais para o uso criminal. Embora ainda não seja um fato estabelecido, os pesquisadores tendem a considerar que a psicopatia é genética. Enquanto que a sociopatia possui como causa não só a genética, a predisposição hereditária, mas também a influência do ambiente é fundamental para a sua eclosão.
Em resumo, eu poderia dizer que psicopatia é algo que já nasce com o indivíduo, enquanto a sociopatia é algo construído.

Nessa construção, fatores decisivos são uma infância com os pais ou responsáveis ausentes ou mesmo (e na maior parte dos casos) abusivos. Infância solitária em um ambiente de pobreza e/ou hostilização na escola e outros meios.
Podem ter QI (Quociente de Inteligência) extremamente alto ou extremamente baixo, emboa sejam geralmente associados com a genialidade.

Ambas têm algumas coisas em comum:

Desrespeito pelas leis e normas sociais;
Desrespeito pelo direito dos outros;
Incapacidade de remorso ou culpa;
Tendência a exibir comportamento violento ou explosões de fúria.

"Então você quer dizer que eles são anárquicos, que nem o Coringa do Heath Ledger?" Não.
Uma vez eu li um artigo escrito por uma sociopata clinicamente diagnosticada como tal. Ela relatou que uma vez ela queria subir para o segundo andar do shopping, mas a escadas rolante estava desligada e interditada.
Ela começou a subir por ali e, quando o segurança foi repreendê-la, ela quase teve uma explosão de fúria, e relatou que fantasiou em bater a cabeça dele no corrimão.
Porém, ela escolheu seguir o caminho dela. Sim, pela mesma escada.
Espero que o exemplo tenha ajudado.

Exemplo esse que também mostra o que eu venho dizendo mais acima: nem todo psicopata ou sociopata chega a ser um assassino.
Ela pode ter desejado que o segurança morresse, mas não fez nenhum movimento de violência.
Um psicopata ou sociopata não é movido por um desejo frenético de matar. Esses são serial killers, e nem todos são psicopatas ou sociopatas. É, pois é.


A principal diferença apontada entre os dois casos é que, enquanto um se encaixa perfeitamente na sociedade, se camuflando perfeitamente, o outro, nem tanto. Embora eu tenha encontrado divergência entre qual é qual, para esse artigo vou manter os termos mais usados para cada grupo.

O psicopata é charmoso, inteligente, sempre procurando agradar e construir relações de confiança. Podem subir realmente alto em empresas apenas com o poder da lábia, sem realmente mostrar algum talento no trabalho que fazem. Podem falar habilmente de países que nunca visitaram, viagens que nunca fizeram.
São mestres de falácia. São organizados e eficientes quando resolvem fazer alguma coisa. Procuram sempre cargos de poder, onde podem sentir que estão manipulando e controlando a vida de pessoas.

Um sociopata, por sua vez, pode ser bem mais emocional do que o psicopata, e tão emocional quanto uma pessoa com empatia nula pode ser. Sua principal emoção é a raiva. É impaciente, por isso não consegue subir tanto na vida como seus colegas psicopatas.
Podem viver alheios à sociedade, pois são desorganizados mentalmente e incapazes de manter um relacionamento estável com qualquer um, seja família, amigos ou colegas de trabalho.
Não necessariamente violentos, porém, possuem mais pré-disposição para tal.


Pessoas com esse transtorno mental constituem 6% da população mundial, em uma porcentagem otimista. É muito provável que você já tenha cruzado em algum momento da sua vida com um psicopata ou um sociopata, e você não faz a menor ideia disso. O disfarce social deles é praticamente perfeito.

Estudos sobre esses indivíduos são difíceis de serem encontrados, justamente porque só podemos contar com entrevistas com criminosos, que só nos mostram o que há de pior nesse transtorno. Porém, existem portadores desse transtorno que podem passar a vida inteira sem machucar ou causar um dano irreversível a alguém, em qualquer nível.

É também o transtorno que causa mais fascinação entre as pessoas em geral, que sempre tentam desvendar o que há por trás da mente de pessoas tão frias, distantes e perigosas.
Ainda que não causem dano físico, psicopatas ou sociopatas podem fazer um grande estrago na vida social, emocional ou profissional de alguém.


Espero ter ajudado vocês.
Até o próximo post.
Beijos da Ana.